sexta-feira, 26 de abril de 2013

Querer e poder..






Não quero uma história de cinema, onde existe esse tal de casal perfeito. 
Eu não quero uma felicidade de mentira só pra mostrar status.
Eu quero mãos dadas, cafuné e colo. 
Quero viagens, loucuras e parceria.
Quero coração batendo forte, e falta do que falar. 
Quero amor, quero amar. 
Quero um eu, com você.
Quero eu e você formando esse tal de nós. 
Quero tudo o que você quiser me dar e muito o que tenho a lhe oferecer.
Que se amem.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Ouvi atentamente sobre indagações feitas. Entre elas sobre términos de relacionamentos que segue na teoria que jamais haverá voltas. Pois, se quisessem ficar com a pessoa, não teriam saído da sua vida. E disse mais que eu não devia me prender a conhecer alguém. Contou-me sobre um de seus conhecidos que possuem beleza exterior e aparentemente interior que fora decepcionado com a confissão rumo ao altar por sua noiva que o traiu por 6 vezes com diversos caras. E que após isso ele nunca conheceu alguém como "você" e por isso nunca mais teve ninguém na vida. Está preso. Assim como você!
Refleti um pouco, pensei na lógica de suas indagações. 
Por que as pessoas saem de nossas vidas? Será que valem a pena esses "vai e volta". 
Acredito que ninguém nunca desejou para si. Pensando bem, jamais quis isso. Mas tive parcela de culpa talvez por isso ainda me importe. Passaram-se oito meses, pensei no email enviado a minha mãe e ele não seria enviado a toa, como também não me acho um presente que possa ser avaliado se me merece ou não, Deus não te dará algo ruim, ele de alguma forma envia as pessoas para sua vida, ele mostra você escolhe.
Pensei bem esses meses e tive a coragem e talvez a última que me resta e escrevi : Me amas suficientemente para viver ao meu lado até que a morte nos separe. Dois dias depois, questionou-me, mas antes de expor-se, espera sempre que eu digas o que sinto. Quem sabe um dia exponha-os sem esperar por ninguém. Respondi e disse muito mais: Quero que seja o 1 e o último homem da minha vida, juntos sermos uma família, com filhos e um cachorrinho. 

Não sei se levou a sério, ou como esta sua vida agora, mas deixo registrado que tentei. Por motivos pelos quais sinto e por tantas coisas que passei. É certo que não mais esperarei tanto tempo, já nos conhecemos, não há mais novo a oferecer, tivemos momentos difíceis que poderiam ter sido cuidados com mais cautela e sem orgulhos. 
Não, também não estou apressada! 
Se me amas, é bom, é o que preciso, e é o que Deus diz, homem amai as vossas mulheres e mulheres sedes submissas aos vossos maridos, pois é da mulher amar, ela olha até um "bichinho" estranho e já o ama. Agora se me amas e me queres longe de sua vida. Então me deixe partir, mas diga-me.
Se não quiseres viver ao meu lado e ser o único homem da minha vida. Você me perderá, e definitivamente tirarei você de meu coração e darei ele a outro que me ame.
Continuarei minha caminhada, e você estará a salvo em minha memória.
Lembrarei de seus olhinhos brilhantes de jabuticaba a cada conquista das coisas que nunca teve na infância e de como eu ficava feliz em ver você feliz (Como eu gostaria de ter evitado todos os transtornos que lhe fizeram mal em sua vida, mas não sou sua redentora e salvadora, você deve sair de tudo isso sozinho e eu só ficarei torcendo por você). Como também lembrarei pelo apego por meias novas, as axilas pelas quais gostava de cutucar e cheirar. Na confiança em deixar-me tirar sua sobrancelha? Dos filmes que eu conseguia desvendar e você não queria aceitar! Dos mimos (criança, filhote, shampoo de bebê para essa carequinha) de tantos cheirinhos que lhe dava, das roupinhas que dobrava, ou arrumava para você viajar. Seu espaço que foi invadido por mim, não esquecendo da minha ausência para ir ao banheiro. 
Sua presença me fazia bem, aqueles dedinhos e aquela curva de pelos feito um arco nas mãos, os pezinhos feios de mãe que com aquelas pantufinhas, eu não resistia! Ah! e sobre esses pés lembro-me do dia da limpeza de uma das unhas que me deu ânsia de vômito. A vergonha por estar perdendo cabelo escondida no chapéu ou em uma boina, sendo que não me importa. O que me importa é o interior que cativou-me. 
Cócegas nos pés quando estava muito sério, da vontade de larga-lhe umas palmadas quando me feria com a barba no rosto e quebrava meu cabelo desembaraçando-o. Da chantagem emocional para fins de ceder para eu fazer o lanchinho e de quem assalariado ganhava mais. Dos litros de café consumidos, os pãezinhos, e ao sair, rotineiramente segurar sua camisa e lhe dar um cheirinho ao atravessar a rua. 
Meu hormônio estrogênio informou-me imediatamente que esse fora o escolhido, eis o feromônio  do amor. 
Como gostaria que ambos desejassem permanecer juntos até que a fria velhice chegassem.
Não precisamos de muito para sermos felizes.. É simples. 

Minha eterna criança. 



Postar um comentário