quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Perereca de Vidro da Cachoeira da Onça

A Perereca de Vidro da Cachoeira da Onça (Cordeiro, A. C.; Sanaiotti, T.) Ana Cristina Cordeiro e Tânia Sanaiotti Os anfíbios da Amazônia ainda são pouco conhecidos quanto à sua distribuição, abundância e diversidade. A maioria das informações disponíveis são sobre a composição das comunidades de anfíbios na região de Manaus, fundamentais para a determinação de locais para preservação, evitando assim, que ocorra a destruição dos habitats naturais das espécies endêmicas e ameaçadas de extinção, ou de fauna desconhecida. No Município de Presidente Figueiredo, ocorre uma composição de anfíbios distinta daquela da região de Manaus, talvez pela diversidade de ambientes, cachoeiras, corredeiras e cavernas pode ser um dos fatores para essa diferença. No ano de 2000, durante levantamentos noturnos na área da RPPN Cachoeira da Onça, foi coletada uma espécie de sapo não conhecida para o Brasil. A espécie Hyalinobatrachium nouraguensis, a qual nunca havia sido descrita fora da área da Guiana Francesa. Pertencente à família Centrolenidae, possui 3 gêneros: Centrolene, Cochranella e Hyalinobatrachium. Na Amazônia Brasileira, essa família é representada por outras duas espécies: Centrolenella midas e Centrolenella oyampiensis. Essa espécie de perereca é muito sensível às modificações ambientais. Qualquer alteração em seu habitat pode comprometer a sobrevivência dessa espécie pouco conhecida pela ciência. www.portalamazonia.globo.com/cachoeira
Postar um comentário